quinta-feira, janeiro 12, 2017

Os Multiplos

Hoje vou escrever sobre um assunto que me toca pessoalmente. A multiplicidade, O talento múltiplo, confuso e em eterno estado de mudança! Sim, esta sou eu: uma múltipla. Eu nasci assim, me reinventando diariamente motivada pelo tedio de me auto repetir. Em tempos de especialização, os múltiplos sofrem. Não só sofrem como enlouquecem os uni-talentosos, perfeccionistas.

O múltiplo tem sempre pressa. Nada é mais importante do que criar. Quando a realidade não é suficiente o múltiplo cria. E quer acabar logo para já por em pratica a próxima idéia. O múltiplo é todo sobre o novo, e haja idéia! Sabe aquela idéia?  Em dois segundos já ficou velha. Já concebeu, já executou mentalmente, já analisou, ponderou e ou já criou ou já esqueceu.


é preciso um gps mental para tentar navegar a vida ao lado de um múltiplo. Ele nunca esta na conversa, no mesmo tempo e espaço que você. O tempo dele é o aqui agora dentro dele. (Sim, tem uma pitada de egoísmo em todo múltiplo!) Eles podem viver literalmente dentro de si. De gênio e de louco todo múltiplo tem um pouco.

Conversar com um múltiplo também não é fácil. Ele fala em fragmentos porque pensa que já disse. Sim é preciso ser quase paranormal e leitor de mentes para se comunicar fluentemente com um múltiplo. E a você que o faz com freqüência, meu maior respeito! Tenho certeza que com o passar do tempo de tornou assim tipo um intérprete simultâneo do seu múltiplo! Muitas vezes pego meu marido me reeditando.. " ela quis dizer isso assim assado!" Obrigada amore, por estar sempre adiantado na comunicação!




E aqui mesmo já me despeço, porque já tive a próxima idéia para o próximo artigo!
Kiki Hamann







quarta-feira, janeiro 11, 2017

Confissões de uma Fanática por produtos de arte! Parte 1, A Origem!

Vamos lá neste primeiro artigo sobre um dos meus assuntos favoritos.  Papo arte!  Eu lembro bem meus primeiros passos como artista e a dificuldade de achar os materiais certos, as dicas certas, os amigos artistas certos. Na aventura em busca do produto perfeito - quase sempre importado e muitas vezes inacessível, levei vários tombos. Comprei muitas vezes o que não precisava, não era adequado e em tantas outras perdi a oportunidade de comprar o material certo.  Então aqui neste cantinho do blog, vou dividir meus conhecimentos, opiniões e informação com vocês. Sou artista plástica e ilustradora trabalhando no meu  atelier em Miami. Bora neste papo arte comigo! Bora criar!

E tudo começou no Rio de Janeiro trocentos anos atrás...



Paixão que chegou na minha vida em latinhas! Latinhas maravilhosas dos lápis de cor.  Eu acredito, que sem considerar o giz de cera, todo artista começou com o lápis de cor na mão. Foi com eles que nós  todos começamos a colorir um mundo imaginário, a criar nossa própria realidade.  Eu reintero,  nós  todos mesmo, porque quando somos crianças somos todos artistas e como diz Picasso, "o difícil é  continuarmos artistas!"  Então o lápis de cor se torna uma máquina do tempo e nos remete ao momento em que nao tínhamos medo de criar.  Nãé atoa que los livros de colorir estão de volta. . Viva o lápis de cor! 


Meu primeiro encontro com o lápis de cor se deu no Jardim de Infância. Eu jamais esqueço a marca ou a caixinha. Este aí mesmo, o da Arara. Mal sabia eu que o Faber-Castell tão facilmente disponível no Brasil, era um lápis de alta qualidade e na realidade falava Alemão!  Produzido para o mercado Brasileiro, ele era um gringo disfarcado de amazonico!  Eram 12 cores apenas e naquela epoca eu nem sabia que se misturavam. Todos as minhas criaturas eram marronzinhas com cabelos amarelos, pretos ou cor de cenoura! 


Mas eventualmente a variedade aumentou quando ganhei a caixinha que ficava em pé sozinha com 24 cores.  Tinha rosa clarinho e neste momento todas as minhas criaturas passaram a ter a pele rosa! Grande progresso.



Neste momento, a Kiki artista e ilustradora nasceu. Nasceu colorindo tudo a sua volta. Ainda posso lembrar o cheiro dos meus primeiros lapis.. as raspinhas apontadas das madeiras. 


No começo da minha adolescência, fiz uma grande descoberta! Descobri o mundo dos Caran D'Aches, lápis aquarelados. Nao eram vendidos no Brasil, eram Suíços legítimos, um tanto esnobes! Eu tive a grande oportunidade de ter colegas de classe que tiveram os Carans primeiro e compartilharam comigo.


A riqueza do pigmento, a vibração das cores, eu jamais tinha visto ou usado um lapis de cor como este. Tudo o que ele fazia e alcançava! E eram misturaveis e solúveis com água! Uma delicia para as mãos e os olhos. Me levou ainda mais dois anos para que eu pudesse comprar minha primeira latinha de Caran D'Ache SupraColor I.  Eu lembro como se fosse ontem quando me deparei com eles em uma loja de Duty Free durante uma viagem. Eram eles, os Suissos! A latinha tinha uma fotografia dos Alpes Suíços maravilhosamente viciante como um bom chocolate. Os Suíços sabem nos pegar assim na alma. 


Com esta mesma latinha criei minhas primeiras ilustrações profissionais, vendi arte pela primeira vez na vida e criei os personagens de tantas das minhas histórias infantis. Ainda tenho este mesmo set ate hoje! Sim os mesmos amados. O meu estojo tem 38 anos e os lapis continuam criando arte vibrante como no primeiro dia em que abri minha latinha Suíça! Eles ocupam uma posição privilegiada no meu coração e no meu atelier e sempre que vou ilustrar uma peça emotiva, tiro eles da prateleira e sempre termino o trabalho com lagrimas nos olhos. 

Assim tudo começou, Tenho carinho enorme pelos meus materiais de arte. Num artigo futuro vou falar sobre a diferença entre os lapis de cor e compartilhar os meus favoritos. Existe um a lapis certo para cada situação!



Kiki Hamann, orgulhosamente artista.



quarta-feira, janeiro 04, 2017

Madalena e Bafafá

De vez em quando entro na minha máquina do tempo e volto aos momentos criativos da minha vida. Hoje publico uma saudade! Saudade da personagem que criei em 2000 e foi publicada em tantos jornais e revistas por este mundo a fora.  A Madah saiu do papel e entrou na tela do meu pc. Foi desenhada em vetor em uma época que nem se sabia exatamente o que era isto e os recursos eram quase inexistentes. Assim mesmo, já nasceu pioneira.  Ando com saudades dessa mulher contemporânea e estou com vontade de trazê-la de volta.

Como toda Brasileira de carteirinha, Madah nao resiste a um produto importado!



Madalena retrata o Brasileiro que escolheu residir fora do país e manteve todo seu colorido latino, suas diferenças culturais, seus pensamentos.  Madalena ilustra as observações do estrangeiro em terra de gringo.  Ela é irreverente, ousada e independente. Suas observações viraram coloquialismos. Madalena ganhou um gatinho chamado Bafafá criando assim a  oportunidade de dar  "voz" ao gringo nas pequenas historias. Vamos relembra-la!



Madalena nos States tornou-se uma Brasileira culturalmente convicta, um fenômeno quase que como religioso recém convertido... Descobriu o samba, a comidinha popular e o gingado das cadeiras. E as compras! As compras que falam ingles! Atleta dos shoppings e outlets, faz tudo por um brinde!


Havia tempo em que se ofendia quando pensavam que ela era de origem hispânica.Como todos nós, or Brasileiros transplantados,  ao passar do tempo, aprendeu a hablar, salsar e se adaptar. 


Com carinho e saudades,
Kiki


segunda-feira, janeiro 02, 2017

Motivação em pequenas doses, conheça a SuperCutie

Copyright Kiki Hamann all rights reserved

SuperCutie 
mora no meu caderno de desenhos. De quando em quando ela sai para falar tudo o que passa na cabeça dela. Os dizeres da SuperCutie são motivacionais, leves e às vezes apenas divertidos. Ela é a minha voz, a minha luz pessoal. 





A SuperCutie foi criada em abril de 2016. Ela nasceu para me motivar quando precisei lidar com assuntos sérios de saúde. Ele me permitiu continuar a seguir adiante e ao fazer isto por mim, acabou fazendo por você também. Foi com grande alegria que eu descobri que poderia desenhar um sorriso em tantas faces com a mesma simplicidade que desenho a SuperCutie no meu caderno. Ela se tornou a estrela do meu ano, uma verdadeira "life coach"  e o tema do meu calendário! 


Copyright Kiki Hamann all rights reserved



Volte sempre para ouvir de primeira mão as sabedorias da SuperCutie. Motivação em pequenas doses.


Copyright Kiki Hamann all rights reserved





Com carinho sempre, 
Kiki

sábado, dezembro 31, 2016

Ano Novo - Mais tudo.

Socorro, Socorro o ano novo Gringo quer me pegar e eu tenho medo dele. Por um momento meus pensamentos se perdem em memórias de festinhas abomináveis onde eles jogavam Bingo!  Bingo, você me leu bem, pode imaginar? E como se bingo não fosse de matar por si só, vestiam-se de preto, sentavam para jantar, assopravam cornetinhas de papel e tudo acabava a meia-noite. O que é isso minha gente!? Ouvi dizer que Iemanjá desgostosa levantou a saia mudou-se de Miami! Salve-se quem puder. É cada um por si nesta meia noite.
Mudei de idéia, pior que o Bingo é o Bebezão do ano novo, de fraldas e cartola, correndo atrás da gente. Xô bebezão, eu quero mais vida neste réveillon. Mais graça. Mais confraternização. Mais gordisses e bebisses. Mais alegria. Mais superstições. Mais empolgação, Mais música. Mais calcinhas coloridas. Mais caipirinhas e champanhotas. Mais ondas para a gente pular. Mais festa,  Mais risadas. Mais tudo. Mais tudo, queremos mais tudo! Já vou aqui assumindo que você quer a mesma coisa que euzinha.

Hoje é o dia em que acordo numa carioquice infernal! Quero tudo, peço tudo e vou com tudo. E acredito em tudo. O lema do dia e levar fé! 
Equipadissima com a nova calcinha arco-íris parto para as festas. Sim partirei para a balada armada com a minha arma secreta de babadinhos, imbatível e garantidora de todos os recursos em 2017 (eles virão). Em baixo do meu vestidinho tubinho branco elegantérrimo, ela reinará! Ser carioca é bem assim, Elegância na fé! E o mundo resumido em bunda. Vou desbundar!

Comerei o porco, as lentilhas, as uvas. Passarei a meia-noite no pé direito. Beberei todas, Acreditarei em todas.  Darei risadas e debulharei lágrimas, de amor, de saudades, de gratidão.  Renovarei todas as esperanças, o talento, os votos, a fé!  Eu acreditarei como acredita uma criança! E acreditarei também que haverá um Uber para me levar de volta para casa!  

E assim a providência vai conspirando a meu favor. Ela jamais me deixou na mão!

A você que me lê, eu desejo um ano novo NOVO! Onde novo é o que da questão.  Que você tenha novas oportunidades e que enxergue as velhas com olhos novos.  Que o velho amor seja NOVO outra vez! E que o NOVO de dentro da gente saia mais freqüentemente para brincar.  Vamos renovar!

Com o champanha na mão eu ja brindo 2017! Venha criatividade, estamos prontos! 2017 Venha lindo. Venha amigo.

Feliz Ano Novo
Kiki

PS: Iemanja volta, vai!  Perfumes importados, velas perfumadas, chapinha pro cabelo,... vamos voltar a deixar todos os nossos problemas no fundo do mar! O sal, meu amigo, cura tudo!













domingo, novembro 18, 2007

Kiki, Imprópria Para Feministas!

Um novo estudo envolvendo 16.000 mulheres (o que é de fato uma grande pesquisa) acaba de concluir que as mulheres mais voluptuosas tiram melhores notas em testes cognitivos, e atenção para o detalhe: O mesmo é verdadeiro para seus filhos. A conclusão aponta para o que os homens já sabem instintivamente há milênios: As curvas de uma mulher tem relação direta com o potencial de sua inteligência e da de seus descendentes.

Em outras palavras mais Kikizescas e sem freio: Viva a genialidade das mulheres cadeirudas de cintura fina (Martha Rocha, a famosa, perdeu aquele concurso de Miss Universo por ser duas polegadas mais inteligente que sua concorrente americana !) Como não poderia deixar de ser, o estudo demonstra fórmulas matemáticas de como calcular o coeficiente cognitivo e publica estatísticas onde conclui por final que quanto maior a diferença entre a cintura e os quadris, maior a inteligência.


Uma das teorias que justifica a conclusão, é de que um ácido, conhecido como Omega 3, tenderia a acumular-se ao redor dos quadris, ácidozinho safado que alimenta a inteligência feminina. A matéria foi originalmente publicada na revista Evolution and Human Behaviour, mas aqui nos EUA foi um fuzuê só: Deu no New York Times, deu na CNN, deu em tolos os canais de televisão, deu na BBC de Londres e deu na telha da Kiki também!




A notícia me deixou especialmente feliz, uma vez que a anarquista em mim grita o começo de uma revolução feminina, mais do que feminista. O que teria então levado a uma geração inteira de mulheres a se tornarem bulímicas e anoréxicas? A cortarem seus cabelos em cortes repicados dignos de personagem dos desenhos animados japoneses. A trocarem a calças cigarretes e sweaters justinhos por calças de carpinteiro, cuequinhas femininas, sem falar nas famosas calças do tipo pijamão?



Eu sei, vocês estão pensando, é a tal da Midia, é Hollywood, são as revistas de moda. Pois é, exatamente isto!


A mulher habituou-se a olhar sua própria forma em apenas uma dimensão, sua imagem no espelho e aquelas estampadas nas revistas de moda. Não foi treinada para pensar em 3D ou mesmo enxergar com as mãos! Paro e reflito, ao se verem no espelho, as mulheres automaticamente se auto-editam procurando gordurinhas indevidas e rugas intrusas. Teria o photoshop sido criado por uma mulher? Hmmmmm! O que aconteceu com as mulheres que apertavam as cinturas e ouviam os homens? Ah, lembrei. Elas foram massacradas pela famosa revolução feminista.

Será que o custo de perdermos nossas formas, valeu o voto livre? Risos! Não! Não tem Cognac no meu cafezinho matinal! E meus pensamentos polêmicos ainda vão me encrecar de verdade um dia desses!Lembro às meninas da nova geração, viciadas em revistas de moda. Que por trás de uma mulher bulímica na passarela, tem sempre uma bichona! Francamente! Onde estão com a cabeça? Definitivamente, não nos quadris!

Viva então as novas Pin Ups! Amém à Jennifer Lopez, Byoncé, Salma Hayek, Anne Nichole, Nigela, Shakira, Charlize Johanson, entre tantas que ousaram e abriram novos caminhos na midia! Viva o poder das curvas femininas, todas elas... das ondas nos cabelos compridos, dos cílios curvados, das bocas cheias pintadas de carmim, de cinturas fininhas, e pés de bailarina, corpo de violão! Viva a mulher feminina e poderosa.
Enfim, desabafo domingueiro resolvido e publicado. Paro então para continuar meu café da manhã e abastecer o Omega 3!

Deixo vocês cantarolando um sambinha:

"...quando o samba requebra as cadeiras da Nega,
Nego diz! Que ela não vai para o samba é o samba que vai para os seus quadris!..."

Kiki Hamann

Nota: As ilustrações maravilhosas deste texto são as famosas pin ups do Vargas!


Nota 2 : O termo pin-up primeiro apareceu na língua Inglesa em 1941 e o que queria dizer na época era uma mulher cuja beleza era digna de ser colocada na parede! As imagens pin-ups eram recortadas das revistas e jornais da época e eventualmente se tornaram calendários e cartões postais. Ehehehe, Kiki também é cultura! :)

domingo, novembro 11, 2007

Papo Femininamente Musical!

Me perdoem os homens, mas estive pensando esta manhã (sim nós criaturas Venusianas, ocasionalmente usamos esta parte do corpo) e cheguei a conclusão que o Brasil é uma país de cantoras. Sim, são elas quem comandam os sentimentos e saculejos musicais razões pelas quais o Brasil não sai da moda, dos ouvidos e das rádios internacionais. Ao avaliar a minha coleção musical, totalmente discriminadora e snacional) percebi que eram elas que haviam tomado posse do meu gosto musical. E olha que eu tenho de tudo: de vozes meiguinhas, rouquinhas (essas para eles), fininhas, arranhadas, dramáticas, esgueladas, jazzisticas, velha e nova gerações.... as mulheres não cantam, elas encantam! A mulher brasileira, dança e enfetiça com a voz.




Cutuquei minhas memórias de criança... e me lembro que desde pequeninas nós, as Venusianas, cantamos. Os primeiros acalantos ouvimos em geral das vozes amadas das nossas mães, avós, babas e professoras e depois em grupo, passamos a cantar cantigas de roda, e viramos os olhinhos quando aprendemos as primeiras cantigas de amor, e cantarolamos ao dirigir. Esta mistura de voz, som e ritmo é altamente sedutora e hipnotizante, e assim cantar é tão parte do ser brasileira como o famoso andar carioca.





Nestas alturas vocês deverão estar pensando, que presunçosa o que será que ele ouve? Se cutucarem minha caixinha de músicas acharam de tudo, é uma máquina do tempo... Uma cartola de maga!


Como este é uma papo musical sem freio vou logo avisando. Eu não presto e vou assumir que não gosto de Elis. Será que depois desta confissão pública me restarão amigos? Risos... no entando, vou me redimindo, AMO MARIA RITA, e assim sendo, acho que a própria Elis, talvez me desculpasse dessa, eu assim generosamente lambendo sua cria.



Com Elis fora do caminho, me sobram cantoras pelas quais sou loca. Adoro por exemplo a voz doce e afinadíssima de Jane Duboc, cantando cafonisses antigas.... ou mandando ver em Capim de Djavan! Sou fan de carteirinha de Joyce, que além de tremenda violeira e mulher inteligente, compõe para os homens! Não é demais poder ouvir "Homem da Cor Brasileira"? Pois é, além disso ela tem uma gata ruiva chamada Rita Lee, é casada com um ha milhões de vidas e nos trouxe outro novo tesouro, Ana Martins. Coisas de cantora eleita.



Escuto coisas que só quem mora fora do Brasil, descobre sozinha.... Ana Caram, acompanhada de Romero Lulambo no violão é um show bossanovando o novo... Avião de Djavan por exemplo. E tem a Rosa Passos, João Gilberto de saias, voz que aborrece meus amigos de M, mas tem um ritmo sincopado, e um violão tão certinho com repertório caprichado que é impossível resistir!


Vez em quando escuto Carol Saboya, jobiniando Fotografia, uma delicia! Anna Lemgruber trazendo de volta chorinhos deliciosos. Dóris Monteiro, uma gata até hoje! Jussara Silveira, na sua voz de mulher madura. E as Lucianas... Luciana Souza, totalmente Boston Jazz e Luciana Mello, cantando quase a Capella Djavan! Não me permito gostar de Leila Pinheiro... motivo muito pessoal... Meu pai, acha que ela grita e por causa dele, comecei a achar tambem! Mesmo assim, gosto do repertório da Berrona e ouço frequentemente Coisas do Brasil, onde ela grita menos.



Lucinha Lins não é cantora, mas trouxe de volta Sueli Costa, quem tem a alma com corpo moreno como o meu! E viva a mulher que compõe! De repente saio desta emoção cafona-romantica e ouço Leny, ta certo... um tanto complexada de não nascido em New Orleans, mas francamente com vozeirão de quem poderia, não é? Entre os meus fingimentos, vinjo que gosto de Marina para agradar os homens, que a consideram a coisinha mais sexy do mundo. Repertório agradável, voz, nenhuma. Mas eu insisto e não desisto!


Escuto ainda as magas do samba, Beth Carvalho, Marron (Mangueirenses de respeito), Tereza Cristina e a coitadinha da irmã do Chico Buarque, a Cristina, boa contadora de historias trazendo no seu miado canções que teriam se perdido. Adoro um samba rasgado e me encanto com a nova geração, salve Ana Martins e Maria Rita na ponta do pé!








Desencavo um Trio Esperança cantando A Capella... como são afinadas e criativas.. e na viagem ao tempo, me lembro de karaokear com Evinha, vestindo um casaco marrom! Wanda Sa canta lindinha de parceria com Celiz Vaz, onde Doralice é uma delicia na voz das duas. Sim ao contrário de tantas teorias musicais as mulheres são perfeitamente capazes de cantarem em harmonia, em diversas vozes!

Não vamos exagerar, tudo tem um certo limite... Desta tal de Virginia Rodriguez.. tenho apenas uma pergunta para fazer? O que que é isto minha gente, estamos todos loucos? Quem foi o louco mor que a botou no palco?




Olay, desabafo registrado continuo... Paula Toller quando muda de roqueira e esquece que não é Madona, soa lindinha, basta ouvir suas participações especiais. Aliás viva os songbooks que os mostraram que até conseguem desbaianar a Daniella Mercury que me deliciou cantanto a musica do Canal 100, que bonito é!


Nana Caymmi, tambem faz parte da categoria das que finjo que gosto... Risos,! No entanto devo admitir que escolhe um senhor repertório e só pelo sobrenome deliciosamente musical vale ser ouvida.

Gal não canta se não estiver muito ensaiada, isto me aborrece. Bethania anda invovativa e menos dramática, upgraded versio Betha 2.1, cheia de graça!

Ah, Teca Calazans... chorinhos divinos cantados ao lado do Trio! A minha lista é grande e para você que me lê, dou agora recreio, se não poderia falar por horas a fio....


Chiquinha Gonzaga você, musa eterna, abriu todas as alas! Mas encerro com Zizi .... que rima com Kiki e deu guinada na carreira no dia em que conheceu um homen de verdade. Como canta lindo, que voz versátil e rítmo irrepreensível.
Ta bom, chega da mulherada. No próximo blog vou ter que admitir, apesar das vozes serem femininas... O violão é definitivamente deles. E viva o nosso violão brasileiro!
Kiki em dia de Sol Maior!